autoestima,amor-próprio,bem estar,bons hábitos

Blog

Post

Como encontrar o amor-próprio?

Guia de atitudes para desenvolver amor-próprio

O amor-próprio guia suas decisões.

É o que você pensa sobre si mesmo, o que acredita que merece, que o leva a escolher um relacionamento, procurar um novo trabalho, cuidar da saúde e se permitir experiências.

Então, veja: às vezes fugimos de palavras como amor-próprio, autoestima e autoconhecimento. Elas podem soar meio abstratas, sem utilidade prática.

Mas a verdade é que, se você parar para pensar, vai ser obrigado a admitir. Esses assuntos não têm nada de místicos.

A forma como você se comunica com os outros, por exemplo, é totalmente influenciada pelo seu amor-próprio.

Todo “sim” e “não” que você diz num dia. O modo como você enfrenta problemas. E até a quantidade de água que você bebe. No fim, tudo depende do seu amor-próprio.

Basta trocar “amor-próprio” por “instinto de sobrevivência” para ter uma ideia melhor.

Porque, se você gosta da própria existência, quer vivê-la da melhor forma possível.

Busca coisas que te fazem bem.

Quer se preservar, ter uma vida longa. Ser bem-sucedido. E feliz.

Agora, se você não está muito satisfeito com quem é, automaticamente dará menos valor a tudo. Terá menos prazer. Tomará decisões ruins. Deixará que os outros — e você mesmo — te tratem mal.

Por isso, amor-próprio não deveria ser uma coisa que você deixa para depois.

Ou esperar que venha como consequência de conquistas.

O amor-próprio determina onde você está agora!

Com quem está, o cargo que ocupa, as vontades que tem para o futuro.

Quer saber? O amor-próprio determina até sua produtividade.

Então, que tal “discutir a relação” que você vem tendo consigo mesmo?

como ter amor próprio
É preciso cultivar o amor-próprio.

Por onde começar?

Experimente se fazer — e responder, com maior sinceridade possível — as seguintes perguntas:

  • O que gosto em mim, exatamente do jeito que é? (Vale tudo, de aparência à personalidade).
  • Em que sou bom?
  • Qual foi a última vez em que me senti bonito, competente, digno de um elogio?
  • O que faço em meu dia a dia que mostra que tenho amor-próprio?
  • E o que faço que acaba prejudicando meu bem-estar (físico e mental)?
  • Qual é minha maior necessidade no momento?
  • Eu me perdoo pelos erros do passado?
  • Com que frequência eu peço desculpas?
  • Quais são as crenças e regras que me imponho? De quais poderia me livrar para me sentir em paz comigo mesmo?
  • Eu condiciono meu amor-próprio ao que outras pessoas pensam de mim?
  • Sei quais são os meus limites? Eu os respeito?
  • Pelo que sou grato hoje?
  • O que me impede de me amar mais? De me cuidar melhor? De me sentir merecedor de reconhecimento e novas oportunidades?
  • O que as pessoas admiram em mim?
  • Estou apegado a algo ou alguém que me faz mal? Por que não me afasto? Por que me sinto preso?
  • Qual meu maior orgulho?
  • Quem estou me tornando?

Sugestão de uso para essa lista de avaliação do amor-próprio:

Não tente responder tudo de uma vez!

Cada uma das 17 perguntas já é material para um dia inteiro de reflexão.

Então, vá com calma.

Comece por aquela questão que mais te deu vontade de responder.

Ou por aquela que mais te incomodou.

Uma boa dica é anotar as perguntas num caderno — que tal um bullet journal? — e, diariamente, tirar um tempinho (antes de dormir ou quando você acorda, por exemplo) para se dedicar a respondê-las.

Princípios do amor-próprio

Complementando a ideia do autoquestionamento, há uma lista de princípios orientadores do amor-próprio, compartilhados por Shannon Kaiser em seu livro The Self-Love Experiment (O experimento do amor-próprio, sem tradução em português).

No livro, Shannon fala sobre sua própria experiência na consolidação do amor-próprio. Ela explica que, apesar de estar comprometida com esse objetivo, isso não significa que seu plano segue em “linha reta”. Há dias difíceis, tropeços e desvios do caminho planejado.

Porém, a autora destaca, é precisamente nesses momentos em que precisamos permanecer “ao nosso próprio lado”.

Ou seja, “mesmo quando você está desmoronando, chorando, triste ou se sentindo solitário e consumido pela preocupação e ódio por si mesmo, você permanece ao seu lado. Você não se abandona. Abandonar-se significa desistir. Jogar a toalha, dizendo que tudo é muito difícil e sacrificando seus verdadeiros desejos, se contentando com um modo de vida que não o eleva ou não te serve. Em vez de se contentar com uma vida que não parece boa, fique ao seu lado; torne-se seu amigo.”*

As palavras de Shannon Kaiser, que citamos acima, provavelmente serão úteis para você. Lembre-se delas, quando as coisas não saírem exatamente como gostaria. Porque, eventualmente, você pode não se sentir tão satisfeito consigo mesmo quanto gostaria.

É natural que isso aconteça — pois somos humanos, erramos e vivenciamos emoções complexas. Mas também pode se tornar natural manter o amor-próprio como um aliado. Um aliado que não permite que sentimentos de culpa e vergonha definam nosso comportamento.

Então, como melhorar o relacionamento consigo mesmo? Como fazer do amor-próprio uma força que colabora, ativamente, para o autodesenvolvimento e conquista de maior bem-estar?

Certamente, não há um roteiro que possa garantir tal resultado. Porém, a experiência de outras pessoas sempre pode nos sugerir ideias que, por sua vez, nós adaptamos para nossa própria realidade.

Sendo assim, imagino que você vai gostar de conhecer os princípios do amor-próprio, segundo a interpretação de Shannon Kaiser. Abaixo, eles estão listados de forma resumida:

“1. Aceite onde você está. É apenas um ponto em sua jornada e tudo nele oferece a possibilidade de crescimento ainda maior.
2. Seja quem você precisava ser quando era mais jovem.
3. Pensar que você não tem escolha é uma escolha.
4. Para conseguir o que você quer, você precisa abrir mão do que não quer.
5. Esforce-se todos os dias para ser uma versão melhor de você.
6. Como você se sente é mais importante do que sua aparência.
7. As coisas não acontecem com você, elas acontecem para você.
8. Quando você nutrir o interior, o exterior florescerá.
9. Quanto mais você mostrar, mais sua vida fluirá.
10. Você obtém aquilo em que se concentra.
11. Seus sonhos são a arquitetura invisível de sua vida. Confie neles. Honre-os.
12. Seu relacionamento consigo mesmo dá o tom para tudo em sua vida.
13. Quando você se cura, você ajuda a curar o mundo.
14. Você é um presente. Lembre-se de como você é sortudo por estar vivo.
15. O amor-próprio não tem a ver com sua aparência ou com o que você faz; é sobre como você vive.”*

Lembre-se, não se tratam de ”verdades absolutas”. Esses são os entendimentos que a autora, Shannon Kaiser, percebeu que faziam sentido e funcionavam para ela. E, ao dissertar sobre eles em seu livro, acreditou que — ao menos alguns dos 15 princípios — fariam sentido e ajudariam outras pessoas.

Próximo passo? Mudar o rumo do diálogo interno!

A base de qualquer relacionamento saudável é a comunicação.

E isso também vale para o relacionamento que você tem consigo mesmo.

Sim, você conversa consigo próprio. O tempo todo.

Mesmo que não esteja plenamente consciente do que “a voz na sua cabeça” esteja dizendo.

Seus pensamentos, suas ideias, suas crenças… Tudo o que compõe seu diálogo interno tem extrema influência sobre suas atitudes diárias.

A boa notícia é que você pode escolher o que diz a si mesmo.

Há uma técnica da terapia cognitivo comportamental que você pode usar para criar uma conversa mais produtiva:

Prática de afirmações positivas.

como aprender a se amar
Seja sua maior prioridade!

Você não precisa acreditar que elas funcionam.

Apenas faça o teste.

Abaixo, indicamos 10 afirmações positivas para despertar seu amor-próprio:

  • Hoje, sou minha prioridade.
  • Sou eu quem crio minha realidade.
  • Estou me tornando a pessoa que desejo ser.
  • Algo maravilhoso está prestes a acontecer.
  • Cuido do meu corpo porque mereço boa saúde.
  • Confio em meu talento.
  • Eu atraio coisas boas.
  • Estou em paz com meu passado.
  • Se alguém pode fazer, sou capaz de fazer.
  • Mudo meu pensamento e minha vida me dá novas respostas.

Leia, releia. Repita em voz alta. Memorize para lembrar em diferentes momentos do dia. Imprima este texto para colocar na porta da geladeira…

Enfim, faça o uso que achar melhor.

Tente repetir essas frases diariamente por, pelo menos, 30 dias.

Trabalhe nelas até que se tornem sua realidade.

Sua autoconfiança, autoestima e amor-próprio vão se encarregar de mostrar os resultados.

Depois, se puder, volte aqui no texto para contar sua experiência!


Outros textos que você vai gostar:

Como melhorar a autoestima: confira o método (bem diferente das abordagens tradicionais) ensinado pela psicóloga de renome internacional, Amy Cuddy.

Autocrítica: você se critica demais? Consegue perceber se isso está te prejudicando? Gostaria de encontrar um meio-termo saudável nas análises que faz de si mesmo? Então clique no link em destaque e confira, no texto, uma série de orientações que vão te ajudar a desenvolver uma conversa interna mais produtiva.

Como superar o medo da rejeição: se você gosta de exercícios e técnicas de terapia que pode colocar em prática no dia a dia, esse texto é para você!

Se valorize! Está na hora de aprender maneiras de alavancar seu amor-próprio. Quer saber como? Então seja curioso e clique no link para descobrir.

Autocompaixão: você sabe o que essa habilidade realmente significa? Imagina os benefícios de desenvolvê-la? Nesse texto, reunimos explicações, exercícios, vídeos e frases que vão te fazer repensar o conceito de autocompaixão. Vale a pena você tirar um tempinho para explorar esse conteúdo.

Aceitação do corpo: verdades sobre as quais precisamos falar.

Frases de amor-próprio e autoestima: reunimos mais de 180 citações sobre o tema. Certamente, dentre tantos pensamentos, você encontrará aquele que traduz o que gostaria de dizer para si mesmo — mas não sabia quais palavras usar…


* Tradução nossa.

Clínica de Psicologia Nodari
Especializada em Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC)
Atendimentos Particulares em Psicoterapia e Avaliação Neuropsicológica

Está localizada na Vila Mariana, São Paulo/SP
11 99725-4565

Comentários

0 resposta

  1. Amei ,adorei saber que tudo depende de como eu me vejo ,fui traída, enganada por pessoas que eu confiava,hoje nada mais me surpreende acredito que agora tudo vai melhorar,porque sou uma obra rara ,e o lixo não sou eu.

    1. Bom dia, Arlete.
      Que bom que você gostou. É muito importante nos valorizarmos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clínica de Psicologia Nodari

Nosso blog tem como objetivo trazer textos dicas, ferramentas, informações, enfim, conteúdos que acreditamos que possam ajudar as pessoas a melhorar o seu bem-estar e qualidade de vida. Além de refletir a importância da psicoeducação no processo terapêutico.

Oferecemos atendimentos psicológicos em:

  • Psicoterapia - Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) e
  • Avaliações Neuropsicológicas.
  • Outros Posts

    plugins premium WordPress